«Segurança contra incêndios em edifícios antigos»: Oradores e Local

Vai decorrer no próximo dia 21 de Fevereiro (quinta-feira) pelas 21:15, no no auditório Hospital Militar Regional nº1, Porto (à Boavista, ver mapa em baixo), mais uma tertúlia da APRUPP, desta vez dedicada à temática da segurança contra incêndios em edifícios antigos e centros históricos.

Pretende-se com esta tertúlia apresentar uma abordagem critica da legislação de SCIE em vigor (Prof. Leça Coelho), uma visão do ponto de vista da conceção das obras de reabilitação face ao tema da segurança contra incêndios (Arq. Correia Fernandes) e a aplicação da regulamentação de SCIE por parte dos técnicos de segurança e entidades licenciadoras (Eng. Aidos Rocha). Após (ou durante), as apresentações dos oradores, serão discutidas as várias visões com o publico em geral. Após a tertúlia será apresentado o grupo de trabalho que irá estudar estes assuntos na APPRUP..

 

Sobre o Hospital Militar Regional Nº 1 (D. Pedro V)

Apenas  em 1834, o Marquês Sá da Bandeira, Ministro da Guerra determina a construção de um hospital militar no Porto depois de D. Pedro V, em visita ao Hospital, ter concluído da necessidade de se construir um novo hospital militar na cidade. Em 1861 é mandado ao Porto o cirurgião de brigada pelo Ministério da Guerra, determinado a estudar o local do futuro hospital. Já no reinado de D. Luís I, é adquirido o Campo das Pardelhas, tendo sido lançada a primeira pedra a 22 de Abril de 1862. No ano de 1869, sete anos após início dos trabalhos, o Hospital Militar D. Pedro V encontrava-se apenas parcialmente construído, mas mesmo assim, recebe já nesse ano os seus primeiros doentes. Em 1918 o Hospital é assolado por um incêndio de grandes proporções que consome grande parte da fachada do edifício. As obras de recuperação são levadas a cabo e concluídas em 1920. Em 1926 passa a ser designado de Hospital Militar Regional Nº 1 e em 1990 conhece nova e última nomenclatura, passando desde então a ser conhecido como Hospital Militar Regional Nº 1 (D. Pedro V), uma homenagem aquele que foi o responsável pela sua criação. (Para saber mais, consultar pdf.)

 

Sobre os oradores:

José Aidos Rocha

Licenciado em Engenharia Civil pela Academia Militar. É detentor de uma Pós-graduação em Protecção Contra Incêndios de Edifícios promovida pela Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra e Laboratório Nacional de Engenharia Civil. Actualmente é Director-Geral da Exactusensu, empresa que desenvolve actividades de consultoria e de projecto nas áreas da segurança contra incêndio, segurança no trabalho e organização da emergência (medidas de autoprotecção).

Foi oficial do Exército Português. Desempenhou, em comissão de serviço, as funções de Adjunto Técnico, entre Novembro de 92 e Abril de 2000 e de 2º Comandante, entre Abril de 2000 e Abril de 2006, no Batalhão de Sapadores Bombeiros (BSB) do Porto.

Foi-lhe outorgado o título de Especialista em “Engenharia de Segurança”, em Maio de 1999 e a qualificação profissional de “Engenheiro Sénior “, em Maio de 2002, pela Ordem dos Engenheiros. Foi-lhe ainda outorgado o Certificado de Aptidão Profissional (CAP) em HST, em Fevereiro de 2002, pela ACT (Autoridade para as Condições de Trabalho).

Leccionou as cadeiras de Prevenção e Protecção Contra Incêndio (anos lectivos de 1998/99 a 2009/10) e Organização da Emergência (2004/05 a 2008/09), na licenciatura de Segurança no Trabalho, ministrada no Instituto Superior da Maia. Tem colaborado com a Escola Superior de Tecnologia da Saúde do Porto – Instituto Politécnico do Porto. Participou como formador e orador em diversas acções de formação e colóquios, realizadas e/ou promovidas, várias instituições,

 

António Leça Coelho

Licenciatura em Engenharia Electrotecnia, pela Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto. Licenciatura em Engenharia Civil, pela Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto. Mestrado em Construção de Edifícios, pela Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto. Doutoramento em Engenharia Civil pela Faculdade de Engenharia Civil da Universidade do Porto.  Investigador Principal com Habilitação do LNEC. A atividade desenvolvida no domínio da segurança contra incêndio em cinco áreas distintas: Docência; Divulgação; Consultoria; Regulamentação e Investigação. Autor de mais de 150 documentos, incluindo livros e artigos em revistas internacionais.

 

Manuel Correia Fernandes

Manuel Correia Fernandes, nasce em 1941, é diplomado em Arquitectura pela Escola Superior Belas Artes do Porto (ESBAP) em 1966, e inicia em 1972, na mesma escola, a carreira docente que exerce ininterruptamente, até ao presente. Professor Catedrático da Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto (FAUP). Foi membro e presidente eleito dos Conselhos Directivo, Científico e Pedagógico e da Assembleia de Representantes da ESBAP e da FAUP, assim como da Assembleia e do Senado da Universidade do Porto. Director do Curso de Mestrado em Metodologias de Intervenção no Património Arquitectónico da FAUP. Professor de Cursos de Mestrado nas Faculdades de Engenharia e de Economia da UP. Coordenador dos Cursos de Verão da Associação das Universidades da Região Norte (AURN).

Consultor e perito em organismos e instituições públicas e privadas. Presidente do Conselho Nacional de Disciplina da Ordem do Arquitectos, tendo sido dirigente da Associação e da Ordem dos Arquitectos Portugueses em diferentes ocasiões. Participa em exposições, conferências, colóquios e debates em Portugal e no estrangeiro. Membro da Comissão Executiva do Conselho de Administração da Sociedade Porto 2001 até Novembro/99, sendo responsável pelo Programa de Revitalização e Requalificação Urbana da Baixa do Porto.

Nomeado para o Prémio de Arquitectura na III Exposição de Artes Plásticas da Fundação Calouste Gulbenkian de 1986. Prémio Nacional de Arquitectura da Associação dos Arquitectos Portugueses em 1987. Nomeado pelo júri para o prémio Secil da Arquitectura em 1992. Prémio Nacional do Instituto Nacional de Habitação em 1993. Menção Honrosa do Prémio Nacional do Instituto Nacional de Habitação (INH) em 2002. Prémio Nacional do Instituto Nacional de Habitação em 2003. Prémio Extraordinário Fernando Belaunde Terry – IV Bienal Ibero-Americana de Arquitectura – Lima – Peru, 2004. Premiado em diversos concursos públicos de arquitectura. Exerce, no Porto e ininterruptamente desde 1966, a profissão de arquitecto, em regime livre.

Vereador da Câmara Municipal do Porto.

 

Ricardo Santos. (Moderador)

Engenheiro Civil, Empresário da Construção Civil (RIELZA) e Projetos de Engenhara Civil (BESTPROJECT). Sócio fundador  e presidente do conselho fiscal da APRUPP.

HOSPITAL MILITAR

 Como sempre, o acesso é livre, recomendando-se pontualidade. É possível estacionar dentro do Hospital (consultar mapa) e para quem vem de metro, é sair na estação Carolina Michaelis ou Casa da Música.

Anúncios