Debate «Ambiente, urbanismo, natureza e qualidade de vida no Porto

Debate-Candidatos

QUE FARÁ O PRÓXIMO PRESIDENTE DA CÂMARA PELO AMBIENTE E PELA NATUREZA NO PORTO?

As associações e cidadãos individuais que organizam este debate quiseram saber o que pensam sobre este tema os candidatos à presidência do próximo executivo municipal. Foram convidados todos os que eram publicamente conhecidos como tais no final de julho de 2013. Os oradores neste debate são todos os que aceitaram o nosso convite.  Na sua perspetiva, os organizadores propõem para a abordagem do tema o enquadramento adiante resumido. Muito haveria a dizer sobre tudo isso, mas no tempo disponível necessariamente muito terá que ficar por dizer. Os organizadores esperam, no entanto, que ao longo dos próximos quatro anos, quer o candidato eleito, quer os não eleitos, bem como a população interessada, mantenham estas questões em agenda e continuem a procurar respostas para elas. Dada a amplitude das questões de ambiente a nível municipal, neste resumo é apenas apresentado o fio condutor geral e os cinco principais temas propostos à consideração dos oradores.

Cinco subtemas e  seu enquadramento

Estes temas podem e devem talvez ser também considerados na ótica de uma estratégia de gestão para a cidade que passe pelo aproveitamento dos seus recursos ambientais, tendo em conta o ambiente visto como uma oportunidade para aumentar a qualidade de vida da cidade, atrair investimentos «green deal» e um turismo que valorize a dimensão da sustentabilidade nas cidades, incluindo a biodiversidade urbana.

1 Diálogo e interação CMP e cidadãos – Governança

Enquadramento: atitude que defenderá o candidato nas relações com os cidadãos, quer por parte do executivo, quer por parte dos serviços, quer por parte de outras entidades que possam depender, mesmo parcialmente, de orientações suas.

2 Política urbanística, regeneração urbana, qualidade de vida, resíduos e ambiente

Enquadramento: a posição do candidato em relação ao papel dos cidadãos e suas associações no processo de acompanhamento da execução do PDM em vigor e da política urbanística em geral no concelho. Formas de participação e diálogo instituídas ou a criar (comissões de acompanhamento, por exemplo).

3 Estrutura ecológica, espaços verdes e a árvore na cidade

Enquadramento: posição do candidato quanto ao diálogo dos serviços ou departamentos responsáveis por parques e jardins com os cidadãos e suas associações.  Relevo dado à questão da biodiversidade urbana em conexão com a proteção da estrutura ecológica municipal e seu florescimento.

4 Mobilidade, transportes, peões e ciclistas

Enquadramento: uma questão fulcral no interface entre a política urbanística, ambiental e energética. Da forma como for encarada dependerá que o Porto se aproxime ou se afaste de uma prática de sustentabilidade e de respeito pelos direitos dos cidadãos no uso do espaço público.

5 Opções energéticas para um Porto sustentável

Enquadramento: aspetos que o candidato tenciona ter em conta para fazer da cidade do Porto um fator positivo no combate às alterações climáticas e na melhoria da qualidade do ar e de vida.

Organizadores

ASSOCIAÇÃO MÃOS À OBRA – AMO PORTUGAL

CAMPO ABERTO – ASSOCIAÇÃO DE DEFESA DO AMBIENTE

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE REABILITAÇÃO URBANA E PROTECÇÃO DO PATRIMÓNIO

CIDADÃOS INDEPENDENTES

Convite

No dia 5 de setembro de 2013, às 21:15, realiza-se no auditório da AICCOPN (Associação dos Industriais de Construção Civil e Obras Públicas do Norte) um debate entre os candidatos, nas eleições autárquicas de 29 de setembro próximo, à presidência da Câmara Municipal do Porto.

Local: Rua Álvares Cabral, 306, Porto (perto da Praça da República; metro Lapa).

A entrada é livre e gratuita e não está sujeita a inscrição prévia. Venha e traga os seus amigos, colegas e familiares.

Temas: qualidade de vida, ambiente, património, urbanismo, mobilidade, energia, governança, natureza.

O debate será moderado pela jornalista Arminda Deusdado (responsável pelo Programa Biosfera, na RTP 2, já várias vezes premiado como programa de excelência ambiental) e nele intervirão, pela ordem alfabética, os seguintes candidatos que aceitaram o convite: José Soeiro (Bloco de Esquerda), Manuel Pizarro (Partido Socialista), Nuno Cardodo (independente), Pedro Carvalho (Coligação Democrática Unitária) e Rui Moreira (independente). Note-se que todos os candidatos como tais conhecidos até final de julho de 2013 foram convidados pelos organizadores.

A organização é uma iniciativa Agir em Convergência resultante da colaboração das associações APRUPP – Associação Portuguesa para a Reabilitação Urbana e Protecção do Património, Campo Aberto – associação de defesa do ambiente, AMO (Associação Mãos à Obra) Portugal e cidadãos a título individual, e tem o apoio da AICCOPN – Associação dos Industriais de Construção Civil e Obras Públicas do Norte.

Anúncios